Google+ Followers

domingo, outubro 25

Céu e Inferno...

Não muito longe de casa onde morávamos havia um colégio de freiras ao estilo daquele que eu tinha frequentado, eu pedi aos meus pais que me matriculassem para prosseguir os meus estudos, mas eles não estavam em condições económicas para me manter num colégio como aquele e a escola pública estava fora de questão. A minha mãe preferia que eu deixasse de estudar do que ir para uma escola pública.

Não se tratava de pretensão ou orgulho mas porque num colégio de freiras ela acreditava que eu estava em segurança e confiava de que eu continuaria a receber os valores religiosos e morais que ela sempre nos tinha transmitido, coisa que não seria possível, segundo ela, numa escola pública. Desse modo tive que adiar a vontade de estudar, com muita pena …
No meio das dificuldades a minha mãe entregava todo o seu sofrimento pelo perdão dos pecados do mundo e a salvação da alma de todos os seus, pensava que era da sua responsabilidade salvar a alma dos filhos, mesmo contra a nossa vontade. Segundo ela, se algum de nós fosse para o inferno, ela também iria, e isso  também nos responsabilizava pela salvação dela!
Gabava-se de ser católica apostólica e romana e acreditava que qualquer outra religião estava errada, às vezes tinha pena de pessoas que, mesmo sendo de outros credos eram, ainda assim, muito boas, lamentava que não se pudessem ir para o céu uma vez que não eram católicas.