Google+ Followers

terça-feira, setembro 22

O início de uma longa viagem

Entretanto o meu pai tinha arranjado trabalho nas obras da siderurgia e como as perspectivas de duração do mesmo eram longas, ficou decidido que nós devíamos ir ao encontro dele. A minha mãe, sobrecarregada de preocupações, se esqueceu de ir ao colégio buscar os documentos que avalizavam os meus estudos, e isto sim, marcou o meu destino.

Algum tempo depois, não consigo precisar quanto, recebemos um telegrama do meu pai. Ele dizia que tinha alugado uma casa na cidade e que estava à nossa espera. Rapidamente a minha mãe procurou alguém que pudesse fazer o transporte da nossa mobília e nos levar juntamente.
Não foi fácil encontrar alguém que estivesse disposto a carregar uma família dentro de um camião de grades, escondida entre mobílias…
Colocamos dentro do camião todos os nossos pertences -um fogão, algumas camas, um televisor a preto e branco que mal funcionava, dois roupeiros, três cadeiras de ferro, uma simples mesa, as roupas…Nada de valor.
 Encaixamo-nos num esconderijo improvisado, por entre os roupeiros e a mesa, os colchões no chão, as cadeiras estrategicamente colocadas de modo a que pudéssemos sentar-nos algumas vezes.
A minha mãe levou os alimentos que considerava indispensáveis e nós, as crianças, arrastamos também o nosso pequeno cão rafeiro, adoptado pouco tempo antes, para a nossa aventura!
Finalmente, o camião foi coberto com uma tela de oleado amarrada fortemente à volta a viatura. Não era permitido transportar pessoas nestas condições, tudo foi pensado de modo a realizar a maior parte da viagem durante a noite. Era preciso passar despercebido das autoridades.Esperava-nos uma longa jornada  que nos havia de levar`a  porta de entrada da Amazónia venezuelana.




Continua…nos próximos posts.