Google+ Followers

sexta-feira, junho 26

Mais um pedacinho de aldeia

Cantinho

Todos os habitantes assistiam à missa dominical ou a qualquer outra cerimónia religiosa.
Depois do banho semanal, quase sempre numa grande tina de zinco (poucas casas tinham o privilégio de ter uma banheira de esmalte e água corrente), com a água aquecida no fogão de lenha e, depois de uma boa ensaboadela com sabão azul, ou aqueles que tinham mais poses, com sabonete perfumado, vestiam as roupas reservadas para o domingo e iam para a igreja.
Mais uma vez os homens ficavam separados, mulheres e crianças ficavam no espaço principal da igreja, enquanto eles se instalavam no coro. Ora, a entrada para o coro era feita por umas escadarias exteriores e estava num plano superior, numa espécie de mezanina que ocupava, talvez, um quarto do espaço do recinto. Os homens tinham assim, uma vista privilegiada sobre tudo o que se passava no santo recinto e as mulheres não se distraíam a olhar para eles.
Era já habitual que na hora do sermão se ouvisse o arrastar dos bancos pois a maior parte dos homens ia para a rua fumar um cigarro, onde ficavam até a hora da consagração.
Na verdade, a igreja era o centro da vida de toda a aldeia. Isolada como era não existia outro espaço para o convívio social ou entretenimento, por isso, era nesse santo local que aconteciam os momentos mais divertidos ou caricatos… Ali qualquer acontecimento fora do vulgar provocava autênticos ataques de riso.
Foi o que aconteceu quando alguém mais irreverente decidiu prender com um alfinete-de-ama, as saias de duas mulheres que não se podiam ver, não porque fossem cegas, mas porque se detestavam, e no entanto durante a missa, teimavam em sentar-se lado a lado e, quando chegava o momento da comunhão, cada uma delas saía pelo lado oposto à outra. Não é difícil imaginar a aflição das duas mulheres, cada uma dando puxões à outra, tentando em vão libertar-se, lançando-se olhares faiscantes, enquanto a assistência, a duras penas, continha gargalhada! Dizem que nesse dia até o padre teve dificuldade em conter o riso!