Google+ Followers

quinta-feira, junho 4

Alguns porquês


E porque não só de memórias vive a mulher…alguns porquês sobre o Homem actual.

Julgamos ser civilizados, progredimos, temos coisas... a ilusão de BEM-ESTAR, mas o avanço tecnológico pode não ter a importância que sonhamos.
Será que o homem civilizado progrediu quanto pessoa? Seremos hoje mais humanos? Será o homem de hoje mais refinado, mais sensível, em suma, mais humano?
Então, porquê é que ainda se cometem crimes sem nome, em nome do progresso?
Porque se destroem as florestas e se põe em causa a sustentabilidade do planeta?
Porquê se deixam morrer à fome milhares de crianças enquanto nos países desenvolvidos as pessoas morrem devido ao excesso de alimento?
Porque se deixam morrer milhões de seres humanos de sida e outras doenças, algumas facilmente curáveis, porque os medicamentos não são distribuídos a preços acessíveis?
Porquê é que a violência familiar ainda mata mulheres e crianças?
Haveriam muitos mais porquês…
Então, onde esta o lado humano do progresso?
Será que uma sociedade moral, estética e ambientalmente degradada constituirá uma sociedade avançada?
Será que trabalhamos para que a solidariedade, a igualdade e a liberdade sejam um facto e não palavras adormecidas?
Estaremos de consciência tranquila, a coberto da tão falada e moderna tolerância, a promover um certo número de coisas intoleráveis?

Não basta ser cidadão do mundo, do presente e do futuro, temos que ser contemporâneos do futuro das gerações vindouras.
Que planeta lhes deixamos? Terá condições de habitabilidade?
Que exemplos, que ambiente, que recursos, que cultura, que valores lhes deixamos?

Questões para pensar