Google+ Followers

terça-feira, maio 19

A viagem

É curioso, mas da viagem no Irpína tenho poucas recordações, apesar de ter sido uma jornada bastante prolongada.

Lembro-me de andar em correria no convés do navio, algumas brincadeiras com outros passageiros, e de uma ocasião em que alguém me levou a visitar a sala das máquinas.

Sei também que tive uma forte dor de ouvidos e fui levada ao médico de bordo, que me examinou e limpou uma pequena infecção, e elogiou os meus longo cabelos.

Viajávamos em terceira classe e dividíamos o camarote com outras duas pessoas, entre elas uma espanhola que se fez grande amiga da minha mãe e, mais tarde, foi madrinha do meu irmão, o primeiro nascido naquele país.

Sei que olhava continuamente para o horizonte desejando ver terra firme, e gostava de ver como a mar era afastado pela quilha do navio. Fiquei encantada quando passamos ao largo de Porto Rico, mas, quando aportamos em Santo Domingo, não gostei muito, o calor era intenso e as águas do porto muito sujas.

O resto, são apenas sensações, não recordo os meus sentimentos ou pensamentos nesses dias…